Plataforma Notícias Ordem Engenheiros Região Norte - Há Engenharia nos edifícios inteligentes

Há Engenharia nos edifícios inteligentes

21 Novembro, 2018

Há Engenharia nos edifícios inteligentes que reduzem o consumo energético e as emissões de dióxido de carbono. Estas novas estruturas são o futuro da sociedade moderna. Edifícios inteligentes vão além de construções capazes de economizar energia e contribuir com metas de sustentabilidade. Devem aproveitar ao máximo recursos tecnológicos disponíveis, sejam de construção, aproveitamento de materiais ou mesmo de tecnologias da indústria high tech.

Fomos à procura alguns dos edifícios inteligentes mais incríveis do mundo.

Eldorado Business Tower (São Paulo, Brasil)

O edifício possui uma fachada de vidro especial capaz de aproveitar 70% da luz natural enquanto retém, somente, 28% do calor que incide sobre ele, economizando iluminação artificial durante o dia e a utilização de ar-condicionado.

Os elevadores dispõem de um gerador que, a cada chegada e partida, reaproveita a energia, gerando uma economia de 50% em relação ao que é consumido por elevador. A água utilizada nos WCs e do edifício é reaproveitada da chuva e dos aparelhos de ar‑condicionado.

A torre destinada a escritórios tem 32 andares, centro de convenções e heliporto para até dois helicópteros de dez toneladas cada.

Concluído em 2007, “O Eldorado” foi o primeiro edifício da América Latina a receber o certificado Leed Platinum.  A certificação Leed essencialmente avalia e reconhece as soluções e tecnologias sustentáveis adotadas no projeto e na obra para reduzir os impactos ambientais de uma edificação. O objectivo do Leed é estabelecer um padrão comum de avaliação dos edifícios e servir como exemplo para a construção “verde”, encontrado-se esta avaliação dividida em quatro categorias, sendo a Platinum a categoria mais elevada.

 

Sello Shopping Center (Espoo, Finlândia)

Este shopping possui um centro operacional de controlo de energia eficiente, inaugurado em 2010, que permite monitorar as atividades nos diversos espaços, ajustando assim o consumo a um limite adequando e sem desperdícios. Este centro operacional permitiu que o consumo de eletricidade decaísse 27%, permitindo a diminuição 15% no consumo de energia termoelétrica. Este sistema permite, ainda, a monitorização da emissão de dióxido de carbono.

O Sello Shopping Center foi inaugurado em 2003 e foi o primeiro shopping europeu  a receber a certificação Leed Gold, a segunda categoria mais elevada da classificação Leed. O espaço possui cerca de 170 lojas, além de abrigar uma biblioteca e uma sala de concertos.

 

Taipei 101 (Taipei, Taiwan)

Este edifício possui um sistema eficiente de economização de energia, suportado por 3 400 dispositivos de controlo responsáveis por desligar os aparelhos de ar-condicionado aquando da ausência de utilização do espaço em questão.

Taipei Financial Center, terminada em 2004, possui 101 andares ao longo dos seus 508 metros de altura e é considerado o edifício mais alto com certificação Leed.

 

Aeroporto Internacional O’Hare (Chicago, Estados Unidos)

Os telhados das torres são ocupados por uma área verde com cerca de 104 000 metros quadrados. Estes jardins permitem o cultivo de plantas suspensas sem utilização de terra. O uso desta vegetação permite a diminuição da concentração de calor no interior do aeroporto, minimizando a utilização de equipamentos para a climatização do ambiente.

Detém uma plataforma de controlo de gestão que faz a integração de todos os seus sistemas de consumo de energia, de segurança e de automação.

Este aeroporto, é considerado, o mais importante de Chicago. A estrutura do aeroporto é composta por cinco terminais conectados por um trem gratuito usado para o transporte de passageiros.